A melhor abordagem para a saúde músculo-esquelética

12 de fevereiro de 2020 por innove

O ponto principal é que as empresas estão lutando para implementar soluções eficazes para um problema conhecido, bem definido e caro.

Verificando vários cases, podemos visualizar três razões principais pelas quais as empresas lutam para lidar com lesões osteomusculares. Este é o estado atual do gerenciamento da saúde músculo-esquelética:

1.  Uma abordagem reativa, que perpetua uma espiral descendente;

2.  “Muros” organizacionais, que reduzem a eficácia das soluções;

3.  A falta de objetivos, ferramentas e informações comuns, que dificulta a tomada de decisão.

Essa narrativa parece familiar? Se sua organização sofre de uma ou de todas as razões acima, ainda há esperança porque existe uma maneira melhor.

O obstáculo é o caminho, como o imperador romano Marco Aurélio sabiamente apontou: “O impedimento à ação avança a ação. O que fica no caminho se torna o caminho.”

Em outras palavras, um desafio aceito é uma oportunidade. É um presente, e o primeiro passo para adotar uma abordagem melhor para sua organização é entender a oportunidade à sua frente.

Entendendo a oportunidade

A maioria das empresas não possui um contexto crítico sobre a saúde musculoesquelética e, algumas organizações não conhecem completamente o problema: gerenciar bem a saúde músculo-esquelética é uma enorme oportunidade que afeta todo o negócio.

Isso afeta as áreas relacionadas à segurança e bem-estar, mas também pode ter um impacto dramático em outras áreas, como produtividade, cultura da empresa e reputação da marca.

Segurança

O custo dos problemas de origem músculo-esquelética normalmente está bem estabelecido. São as intercorrências mais comuns e dispendiosas da indústria atualmente. Um processo bem gerenciado, eficaz e sustentável para evitar essas lesões reduz drasticamente os custos diretos e indiretos. Somente esses dados são suficientes para convencer a maioria dos gerentes de que há oportunidade suficiente para criar valor suficiente para obter um retorno substancial dos dólares investidos em prevenção.

Bem-estar

Programas de bem-estar que se concentram em programas de perda de peso e a melhora dos hábitos alimentares são bons, a empresa deveria se concentrar nestes problemas. Mas existe uma maneira melhor, especialmente para indústrias.

A implementação de um programa de incentivo à prática de exercícios físicos é uma maneira mais prática, motivadora e duradoura de educar e motivar seu pessoal a adotar mudanças de estilo de vida mais saudáveis.

Ensine-os a usar o corpo para trabalhar. Ensine-lhes técnicas úteis de autocuidado para preparar seu corpo para o trabalho e se recuperar após cada dia de trabalho – assim como faz um atleta profissional.

Esses programas, agregam muito mais valor às operações diárias da sua empresa e à vida de seus funcionários.

Produção

O processo de melhoria da ergonomia reduz os fatores de risco ergonômicos e melhora a interação entre o trabalho e o trabalhador. Se bem feito, esse processo remove barreiras à produtividade e facilita e agiliza as tarefas do trabalho.

No atual ambiente de negócios competitivo, é um erro ignorar a ergonomia como um processo valioso e necessário para produzir o melhor produto da maneira mais eficiente.

Cultura

Cultura de segurança é a atitude, crenças, percepções e valores que os funcionários compartilham em relação à segurança no local de trabalho. Quando os funcionários experimentam fadiga excessiva, desconforto e, eventualmente, ferimentos, o que você acha da atitude, crença e percepção de sua organização? O que os funcionários acham que a organização realmente valoriza?

Gerenciar mal a saúde musculoesquelética é um fator que mata a cultura, mas considere o outro lado por um momento: E se o seu processo de ergonomia fizesse melhorias regulares no ambiente de trabalho, facilitando os trabalhos para os funcionários? 

E se você tivesse um programa de gestão ergonômica que fizesse visitas regulares à fábrica para acompanhar a tarefas com os funcionários e assegurar que a fadiga e o desconforto fossem identificados com antecedência suficiente para que pudessem ser resolvidos antes que ocorresse uma lesão?

São observadas essas melhorias e ações regulares no local de trabalho para melhorar a vida de sua força de trabalho. É assim que a cultura é moldada, uma estação de trabalho e uma pessoa de cada vez.

Reputação da marca

Estamos vivendo em uma sociedade avançada, com transparência radical e padrões e expectativas cada vez mais altos para que as marcas se comportem com responsabilidade. Em uma era de informações onipresentes e uma rede social digital, nada acontece no vácuo. As empresas precisam ser transparentes. A palavra se espalha. Todos somos responsáveis um pelo outro.

Por que não criar uma reputação positiva da sua marca em torno de sua iniciativa de saúde músculo-esquelética? Seu pessoal não é funcionário, eles estão em um time. Vocês estão juntos nisso, construindo o melhor produto possível como parte de uma equipe de alto desempenho que é bem cuidada e cuidada.

Para alcançar os benefícios já citados, é necessário adotar uma abordagem de melhores práticas e com visão de futuro para o gerenciamento da saúde músculo-esquelética. Abaixo estão três imperativos organizacionais que você deve levar em sua organização para chegar lá. São as soluções para as razões do estado atual da gestão da saúde músculo-esquelética que são tão ineficazes.

1.  Mude seu foco para um modelo de atendimento voltado para a prevenção

2.  Implante o modelo através de uma empresa especializada

1. Mude seu foco para um modelo de atendimento focado na prevenção

A empresa não consegue controlar tanto os custos quando ocorre uma lesão. É por isso que, nas últimas décadas, as organizações pró-ativas têm se dedicado progressivamente aos serviços de saúde.

A organização deve ir além da conformidade e adotar um modelo de assistência em saúde focado na prevenção. É o modelo de atendimento mais econômico, eficiente e sustentável para a saúde músculo-esquelética.

2. Implante o modelo de uma empresa especializada

A saúde músculo-esquelética é uma questão complexa com fatores físicos, ambientais, mentais e psicossociais. É provável que sua organização tenha especialistas no assunto com muito a contribuir para os esforços proativos de saúde músculo-esquelética, mas as barreiras organizacionais dificultam esses esforços.

É necessária uma solução abrangente e total. Iniciativas pró-ativas de saúde músculo-esquelética são mais bem-sucedidas quando implantadas por uma empresa com conhecimento especializado. O papel de várias empresas de consultoria é o de ser “especialista em prevenção de lesões” e sua responsabilidade é exatamente essa – evitar lesões por meio de uma abordagem abrangente que incorpore todas as disciplinas de saúde músculo-esquelética.

Sua empresa pensa em prevenção?

Entre em contato com a gente!

contato@innoveergonomia.com.br

#ergonomia hashtag#prevenção hashtag#planejamento hashtag#fisioterapeutasdotrabalho hashtag#gestãoemergonomia hashtag#doençasocupacionais hashtag#fisioterapiadotrabalho hashtag#indicadores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *